Publicado por: NMKarate | 2 Outubro, 2007

Entrevista a Jorge Machado

jm.jpg

 

 

Como prometemos , cá está mais uma fresquinha entrevista do NMKarate . Desta vez, a personalidade do Karate é o Jorge Machado, atleta do Karate Shotokan de Vila das Aves.Vamos sem mais tempo passar para a entrevista.

Nome: Jorge Emanuel Oliveira Machado

Idade: 21 anos (17-05-1986)

Peso: 70kg

Graduação:1ºDan

Estilo: Shotokan

Clube: Karate Shotokan Vila das Aves

Associação: CPK

Olá Jorge! Faz uma breve descrição sobre ti para os nossos leitores que neste momento estão a ler este entrevista.

Nasci em Guimarães, cidade berço, agora com 21 anos, divido a vida entre o Porto e Vila das Aves. No Porto, frequento o quarto ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade do Porto, e em Vila das Aves resido desde os meus 9 anos.

Foi em Vila das Aves no KSVA que me iniciei no Karate e por cá me tenho mantido.

Além disso, sou um rapaz normal como todos os outros e procuro levar a minha vida de acordo com os ensinamentos dados pelos meus pais.

Conta-nos como foi a tua entrada no Karate? Influencias? Curiosidade?

Iniciei-me no Karate aos 10 anos na Escola EB 2,3 de Vila das Aves e desde então, nunca mais parei. Primeiro, não passava de um simples hobby, mas quando comecei a ir às competições, este desporto assumiu de vez um lugar na minha vida.

Quanto às influências, para além dos filmes, que nos influenciam sempre quando somos miúdos, foi o meu pai que me levou pela primeira vez a uma aula de Karate. Nessa altura “jogava à bola” no Desportivo das Aves, mas o meu pai achou que da forma como jogava e pontapeava a bola, se calhar estava no desporto errado. Então levou-me para um sítio onde se calhar teria mais futuro a pontapear. Depois da primeira aula deixei de querer ser o Del Piero e só pensava em ser o Bruce Lee.

Como foi pisar pela primeira vez uma área de jogo? Como te sentiste? Aonde foi e quando?

Foi há bastante tempo, difícil de lembrar com certezas, mas tinha uns onze anos. Sinceramente não me lembro bem como me senti, sei que estava nervoso mas a idade não me deixava pensar em mais nada a não ser ir fazer rápido o que tinha a fazer para depois ir brincar.

Com o tempo e o avançar da idade veio a responsabilidade e a noção do que estava em jogo sempre que pisava um tatami, eram muitas horas de treino e sacrifícios, por isso comecei a levar tudo mais a sério.

Hoje sinto sempre um nervoso miudinho que se esvanece logo que apanhe uma pancada… A partir daí passo a sentir-me em casa e só penso em combater.

Agora claro, a disposição depende muito como me sinta no dia da competição, se me sinto bem e relaxado os nervos passam muito depressa, se pelo contrário não acordo num dia sim, os nervos são maiores como é natural.

Mas uma coisa garanto, se não nos sentirmos nervosos, o jogo perde toda a piada. Já passei por uma fase em que, ao nível das emoções, estar dentro ou fora do tatami era igual para mim, e acreditem que é muito frustrante, não há nada como sentir “as borboletas na barriga”!

Como foi a teu crescimento como karateca e como pessoa, no Karate? A quem deves isso?

O Karate faz parte da minha vida e ocupa-me bastante tempo. Embora sempre tenha tido noção de que deveria continuar a estudar e licenciar-me, houve alturas em que “roubei” tempo aos estudos para treinar… Mas com a idade, aprendi a gerir melhor o meu tempo para não prejudicar nem o karateca, nem o aluno que sou. Mas não tem sido fácil.

Cresci, aprendi e fiz-me Homem sempre com o Karate a pautar o meu caminho. Dele tive grandes desilusões e grandes alegrias, mas a vida é feita de altos e baixos, e de certa forma o Karate foi um pequeno mundo que me preparou para a Vida.

Contribuiu bastante para a minha maneira de ser e tornou-me uma pessoa mais sossegada, lembro-me que em miúdo os meus tios não me queriam a dormir em casa deles tal o terror que era…

Podem ser chavões, e acredito que nem todos os dojos e famílias sejam capazes de transmitir o que aprendi, mas graças aos dois mundos sempre tive o suporte necessário para aprender o que era a humildade, honra, carácter, coragem, responsabilidade e muitas outras coisas, que infelizmente, hoje em dia se espera que sejam ensinados pelos computadores e televisões.

 

dsc06191.JPG

 

Quando era pequeno e quando decidiste entrar definitivamente para o karate, sentis-te alguma indecisão sobre outros desporto ( como futebol , Andebol etc. ) ? Neste momento sentes que o Karate foi uma aposta acertada?

Como referi anteriormente, jogava futebol antes de entrar para o Karate, mas não era muito bom, ou melhor deveria ser péssimo e dar muita cacetada porque depois de o meu pai ver uns treinos levou-me para o Karate…. Não me arrependo da escolha que ele fez e que eu agarrei.

Sempre adorei desporto e como diz o meu pai, e faço dele minhas palavras “ Eu jogo tudo o que tenha uma bola”.

Adoro tudo desde o atletismo à natação, mas é no Karate que senti que poderia fazer a diferença, também não pratiquei outros desportos a ver se tinha o que era preciso, mas na vida nem sempre interessa sermos os primeiros, é preciso sermos felizes e sentirmos que o esforço que fazemos é retribuído, e isso eu encontrei no Karate.

Também é verdade que tive momentos complicados e muita gente me virou a cara e senti que nunca fui muito apreciado pelo que fiz de bom e por tudo o que dei de mim neste desporto, mas foi aí que descobri a beleza do Karate e tirei outra lição para a vida: sê fiel a ti e aqueles que te amam. Digamos que agora luto para mim, para os meus e para aqueles que apreciam o meu trabalho, tudo e resto vem por acréscimo.

Como todos devem saber, no Mundial de Cadetes e Juniores 2003 (Marselha – França) fizes-te uma brilhante prestação, com um honroso 4º lugar, descreve-nos o que sentiste naquele momento? Alguma ponta de tristeza por não teres conseguido chegado à medalha de bronze?

Esse campeonato foi o melhor da minha vida, não só pelo dia em si mas por tudo à sua volta.

Se me permitem aqui fica um breve resumo. Lembro-me como eu, o Nuno Moreira e o Diogo Guincho fomos de comboio e ficamos na Gare do Oriente a fazer horas para apanharmos o avião de manhã cedo. Depois de chegados a França ainda passamos horas para sermos pesados e no dia a seguir toca a combater.

Depois no dia foi tudo muito esquisito. Saiu-me na “rifa” um francês e logo em França.

Lembro-me de estar a perder por 2-0 e depois com um mawashizito e três antecipações ganhar por 2-5. Ainda me recordo, que as pernas dele passavam por cima da minha cabeça e o público assobiava imenso, lembro-me de sair e ser abraçado por toda a gente e aí cair em mim.

Mas tal como expliquei em cima, o segredo, se é que assim se pode chamar, foi a minha ingenuidade e inexperiência, ia bem preparado mas não sabia bem para o que ia, então a pressão não existiu, não me lembro sinceramente de estar nervoso, estava mais apático a tentar absorver tudo à minha volta, era assustador ver umas 5 mil pessoas a gritar e nós ali numa área tão pequena a olhar em redor.

Depois sim quando veio a lesão no joelho ao de cima, que tinha feito uma semana antes no treino de selecção tudo mudou. Perdi com um italiano no acesso é final e com o egípcio, para terceiro lugar, fui desqualificado por causa do joelho. Mas ainda hoje não me perdoo não ter dado a volta por cima, não avaliei bem o que estava em jogo e lembro-me de depois de perder com o italiano pensar que era eu que poderia estar na final e depois não dei o valor que deveria ter dado à possibilidade de conseguir um terceiro lugar. Mas pronto ironia ou castigo do destino, também acabei por ser desclassificado mas não deixou de ser na altura um brilharete.

Sorte, capacidades, acaso ou destino, não sei o que foi, tenho pena de não ter feito nada mais parecido e não ter ajudado mais o Karate Nacional a nível internacional com resultados importantes, mas para mim foi um momento inesquecível e que anos depois, no mundial do Chipre, me voltou a encher de alegria, quando ao felicitar o Nuno pela sua grande conquista ele me disse “ Foste tu que me mostraste que era possível miúdo”… Depois disto, só posso fazer uma coisa, continuar a trabalhar e ser um exemplo para os miúdos que estão a crescer, essa é agora a minha grande responsabilidade, a grande conquista.

É do conhecimento de todos que tens sido um “azarado” no campo das lesões, como consegues ultrapassar isso tudo, sabendo que é uma das piores coisas que um atleta pode ter?

Lesões… Pareço um profissional sempre a dizer que tive uma lesão… Mas é verdade, sempre fui “atacado” pelas lesões. Não gosto de dizer “azarado” porque todas elas podiam ter tido consequências mais graves.

A pior, como devem saber, foi a que contraí na Madeira e a que me afastou um ano e muitos meses dos tatamis. Foi difícil varrê-la da minha cabeça!

Não vou mentir ao dizer que não pensei desistir, até porque pensei nisso muitas vezes e os meus pais também não estavam muitos virados para me deixarem continuar. Acabei por me sentir um pouco traído por um conjunto de factores, desilusão, falta de apoio e de reconhecimento, não sei bem. Mas foi aí que descobri quem estava verdadeiramente do meu lado, quem eram os abutres que se alimentavam do meu sucesso e qual o caminho certo a seguir.

Passado todo esse tempo, o bichinho começou aparecer, levei tudo nas calmas e voltei a época passada. Esperemos que não me apareça mais nada este ano, até porque já começo a ficar “velhote” e a recuperação já demora mais um bocadinho!….

Todos nós temos ídolos, quais são os teus?

No mundo do Karate, eles sabem todos quem são porque sempre fiz questão de lhes dizer e isso para mim chega.

Aqui quero aproveitar a oportunidade para destacar a minha família, as cinco pessoas que aturam com as minha neuras, partilham tristezas e alegrias e são o suporte para tudo o resto.

Desde a minha avó que chora sempre que vou competir e me passa a ferro o Kimono; a minha mãe que diz sempre “que me fez perfeitinho o Karate é que me pôs torto”; o meu pai que é o meu suporte, o alicerce que me sustenta e me segura; a minha irmã que é a que leva com toda a minha má disposição e sempre me adora; e por último mas não última, a minha namorada onde vou buscar a força e coragem para continuar.

Como sabes, todos os atletas tem momentos bons e momentos menos bons. Diz-nos para ti quais foram.

Os melhores são todos aqueles em que sinto que fiz feliz aqueles que acreditam em mim e senti que dei o melhor de mim.

Os piores são todos aqueles em que me aleijo e tenho de ter forças para dar a volta por cima, e é aí que são chamados à cena todos aqueles que fazem parte da minha vida.

Técnicas favoritas?

Sempre tive dificuldade.. Era o mawashi shodan, depois o ura mawashi, mas o que me dava mais títulos era o gyaku em antecipação, por isso é difícil, podemos dizer que a minha técnica favorita é não ter técnica favorita;).

Obrigado por esta entrevista , queres dizer algo para terminar ?

Parte de mim está nesta entrevista, como sinal de gratidão por este reconhecimento.

Obrigado pela oportunidade. Foi muito bom sentir que aqui o “velhote” ainda pode fazer muito pelo Karate e que afinal, ainda há quem o aprecie. Uma coisa posso garantir: estou aqui para as curvas.

Aos mais novos, lutem com prazer e sem stress, com o tempo virá a responsabilidade e com a responsabilidade virá a sabedoria para resolver os problemas. Nunca se esqueçam que os primeiros a sofrer na pele são sempre vocês, por isso ouçam sempre o que o vosso interior tem a dizer e façam o que acreditam ser o melhor em cada momento.

Um abraço.

Jorge Machado


Responses

  1. AINDA NAO ESTÁS ASSIM TÃO VELHOTE MOÇO….
    Anda daí e vem pro tatami, o pessoal espera-te…quando chegares à minha idade é que vais ver o k custa curar uma pikena lesaozita…

    mas o k importa agora é k ja estás bom.

    beijinho

    http://www.carlajeronimo.blogspot.com

  2. Gostei da entrevista, demonstra que tens o Karate nas veias, depois de tudo o que já te aconteceu ainda treinas e competes com muita vontade.

    Só tenho pena que a Madeira te tenha ficado nas más recordações, obviamente que pelo que te aconteceu e não por outras coisas, mas espero que também te tenha dado boas recordações a estadia cá!

    Velhote de 21 anos.. lol.. espera até teres as juntas a doer quando andas.. aí é que vais sentir o peso da idade!😉

    Força aí e até breve!

  3. Continua a trabalhar como até aqui, tens qualidades suficientes para atingir patamares de excelência no Karate Nacional e Internacional.
    Contamos contigo!

  4. Es o maior amigo, parabens e força, trabalha como sempre o fizeste, estamos contigo hoje e sempre, tal como alguns és uma referencia enorme para o nosso pais quer em humildade quer como atleta, um grande abraço companheiro. em breve juntos novamente….

  5. Esta entrevista mostra o grande homem e o grande karateca que es….continua a treinar…co talento natural que tens os tempos gloriosos vao voltar…força…

  6. Como o proprio machado disse..quem fala assim não é gago. Miudo mt bem e continua a trabalhar que sabes que vale bem apena…grande abraço

  7. Parabens Jorge pelo teu grande percurso no karate nacional e quero mais titulos🙂. Além de seres uma grande pessoa és também, na minha opiniao, um dos grandes atletas do nosso país.

    abraço do teu amigo

  8. Uns marcam a diferença com descobertas fantásticas, com feitos notáveis, tu marcas a diferença todos os dias com a tua força, coragem e garra de um verdadeiro campeão…Tu nasceste para o karate..:):):)para vencer e brilhar..Vais ser sempre o meu bebe,o meu campeão, o meu orgulho..:):)tens um coraçao do tamanho do mundo e isso por si só faz de ti a pessoa mais humana que conheço..

    Beijinhos do fundo do coração…adoro-te muito bebe…:):)

  9. Grande entrevista, que reflecte a exemplar postura deste jovem atleta no mundo do desporto.

    Com essa mentalidade e humildade, tenho a certeza que o teu melhor dia no karaté ainda está para vir.

    Um forte abraço

  10. IDOLO!!! É com grande satisfação que vejo a tua entrevista!!! É bem merecida!
    Não há dúvida alguma que és um grande atleta, pois com tanto espirito de sacrificio e humildade chegarás muito longe…Deixa lá as lesões e os abutres porque não há mal que nunca acabe nem bem que sempre dure, e lembra-te são as coisas más que nos tornam mais fortes! Os meus parabés pelo teu desempenho ao longo de toda a tua carreira desportiva. Continua assim com toda essa detrminação, pois eu como muitos dos teus fás iremos-te apoiar em todos os teus momentos!

    Os meus parabéns à NMKARATE por ter escolhido este brilhante atleta e brilhante exemplo para todos aqueles que admiram este desporto e este tipo de atletas (Felizmente temos mais como este em Portugal que merecem ser reconhecidos pelo seu esforço e dedicação!)

  11. Está visto que, para além de um grande atleta és uma pessoa excepcional.

    Continua assim e sempre com força para vencer todos os obstáculos que a vida te traga.

    Um grande beijinho

  12. Eu não resisti a passar cá outra vez e deixar mais umas palavrinhas pra pessoa mais importante da minha vida…Tens a alma de um guerreiro amor, um lutador, és humilde e verdadeiro em tudo que fazes, dás tudo de ti em tudo em que te metes…Pra mim és um exemplo de coragem…e as cinco maximas do karate aplicam-se a ti com toda a certeza….carater, sinceridade, etiqueta, esforço e contole…
    És um campeao nato…pelo menos pra és e pra sempre serás…continua assim, que vais num excelente caminho…enches de orgulho o meu coraçao!!!!

    Beijinhos cheios de amor…:):):)

  13. Machado tás a brincar comigo!! velhote! então eu já sou um dinossauro.😉

    Parabens Jorge por tudo o que conseguiste e por tudo o que ainda hás-de conseguir.

  14. Jorge és realmente um bom orador…

    Mas acima de tudo és um grande atleta e Graaande homem.

    É por tudo o que dizes… e que realmente és… que eu te “adoptei”, mas acima de tudo por seres o ídolo do meu filho, que te considera um irmão e porque TU também estás a contribuir para que ele seja um grande atleta e um grande homem.

    Obrigado Jorge

    Uma mãe
    Beijinhos

  15. Depois de todos estes comentários só posso agradecer, o apoio e o carinho que me deram..
    O meu sincero obrigado…
    “Velhote” ou não o Machado anda aí de novo para as curvas😉
    Um forte abraço
    Mais uma vez OBRIGADO!

  16. Entao velhote?pensas que eu ando a dormir e nao ia ver isto…Venho sempre tarde mas mais vale tarde que nunca. Que posso eu dizer acerca de um rapaz como tu…Já sei: se a perfeiçao não existe tu és o mais próximo que se pode conseguir. Simplesmente espectacular. Tu sim és uma grande pessoa e um verdadeiro amigo. Obrigado por tudo o que me ensinas-te só me fez crescer como pessoa.Deste teu amigo de sempre que apesar de afastados nao te esquece. Grande abraço.

  17. Grande Jorge.
    Quem te ouvir pensa que és velho. Força Rapaz. Acredito que ainda tens muito para dar.
    Direeeito

  18. “sentiste” e não “sentis-te”


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: